A REDE MINAS

A Rede Minas de Televisão foi fundada em dezembro de 1984, por Tancredo Neves, e é uma emissora pública e educativa com o objetivo de potencializar o intercâmbio de valores, educação e cultura para a população, por meio da produção e veiculação de programas de televisão de interesse público.

Integrada à política cultural do Estado de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, a Rede Minas tem a missão de enriquecer a vida das pessoas, por meio de serviços, produção, distribuição e exibição de conteúdos audiovisuais informativos, culturais e educativos.

– 3ª maior TV pública do Brasil;

– Presente em mais de 765 cidades do Estado de Minas Gerais – por meio de estações retransmissoras, de prefeituras e de 50 TVs educativas afiliadas;

– Exibição nacional de vários programas da emissora mineira, através de parcerias com a TV Brasil e a TV Cultura;

– Transmissão de toda sua programação, ao vivo, para qualquer parte do mundo, por meio do site www.redeminas.mg.gov.br, da sua página oficial no Facebook www.facebook.com/ww2.redeminas.tv e seu canal no YouTube www.youtube.com/redeminas;

– A Rede Minas é a emissora de TV de Minas Gerais que mais produz conteúdos inéditos em número de horas;

– A Rede Minas vem garantindo a preservação do patrimônio material e imaterial, contribuindo para o desenvolvimento intelectual, social, cultural e econômico do Estado de Minas Gerais;

– Associada à ABEPEC – Associação Brasileira das Emissoras Públicas, Educativas e Culturais e à Rede Pública de Televisão, conta com a maior rede de emissoras afiliadas do país (59 afiliadas) e está presente na grande maioria dos municípios do Estado de Minas Gerais;

– Sistema de transmissão digital e realizações de produções em HD – Alta Definição.

Prêmios
A Rede Minas recebeu importantes prêmios nos últimos anos, nas áreas de jornalismo, cultura, saúde, inclusão social e sustentabilidade, como:

– Prêmio Délio Rocha de Jornalismo pelas reportagens “Cultura Negra” e “Liberdade Religiosa”, ambas do programa Extra-Classe. (2015);

– Prêmio Délio Rocha de Jornalismo e Interesse Público pela matéria “Os surdos e a religião”, produzido pela equipe de Jornalismo (2012);

– Prêmio ABAP de Sustentabilidade na categoria melhor campanha de educação com o projeto Rede Minas Sustentabilidade, produzido pelo Núcleo de Arte e Chamadas da Rede Minas (2012);

– Prêmio Toddy de Música Independente concedido ao programa Alto-Falante (2012);

– Prêmio Délio Rocha 2011 concedido ao programa Planeta – 1º e 3º lugares da categoria Televisão com reportagens “A (In)justiça dos Homens“ e “É difícil ser sustentável?“ (2011);

– Prêmio Rodrigo de Melo Franco Andrade, Modalidade Regional, concedido ao programa Bem Cultural, na Categoria Promoção e Comunicação (2011);

– Prêmio Regional SEBRAE Telejornalismo, concedido ao Planeta Minas Geral pela matéria “Eles ganharam um milhão” (2011);

– Prêmio ONG Link Minas, na categoria Gestão Ambiental 2010, pela Série Vida, produzida pelo Núcleo de Artes e Chamadas da Rede Minas (2010);

– 1º lugar no Prêmio de Reportagem sobre a Biodiversidade da Mata Atlântica, concedido pela Aliança da Mata Atlântica, em parceria com a Conservação Internacional e a Fundação S.O.S Mata Atlântica, para o programa Planeta Minas Meio Ambiente, pela matéria “Mata Atlântica – Espécies Ameaçadas” (2010).

Linha do tempo

1984

Criação da Fundação TV Minas Cultural e Educativa. Sua área de atuação abrangia 33 municípios em torno do centro do Estado e sua programação, com retransmissão simultânea da TVE do Rio de Janeiro, ia ao ar das 18h às 24 horas.

1985

Realizadas as primeiras produções locais.

1987

Entram no ar o Alta Tensão, o Testemunha Ocular e o Agenda, ampliando a grade de produções locais; – O alcance da tv aumenta com a instalação de um link de micro-ondas que ligava Belo Horizonte ao Sul de Minas; – A média diária de veiculação passa de seis para 17 horas e meia.

1989

Nasce o programa “Agenda”, primeira revista cultural televisiva da TV mineira; o revolucionário ”Vôo Livre” com uma linguagem moderna e dinâmica e o divertido “Dirceu aos Sábados”. São criados também, “Negócios de Minas”, “Happy Hour”, “Rancho Fundo” e o “Minas Rural”. Entra no ar o “Alta Tensão”, “Testemunha Ocular”, “Arrumação” (rede nacional) e “Agenda”, ampliando a grade de produções locais; – O alcance da TV aumenta com a instalação de um link de micro-ondas implantado para fazer a transmissão de Belo Horizonte ao Sul de Minas.

1990

Além da programação do SINRED – Sistema Nacional de Radiodifusão Educativa, a TV Minas passa a transmitir também produções da TV Cultura de São Paulo e TVE Rio de Janeiro.

1993

A Lei 11.179 reorganiza a Fundação TV Minas Cultural e Educativa, transformando-a em fundação pública, sem fins lucrativos, com autonomia administrativa e financeira, isenta de tributação estadual e detentora de privilégios legais atribuídos a entidades de utilidade pública; – A interiorização se torna meta principal para ampliar sua transmissão, permitindo que o sinal da emissora chegasse a mais de duzentas cidades mineiras, triplicando o número atingido na época; – O número de horas de programação diária é aumentado de 02 para 03 horas diárias – 09h45m semanais.

1995

Transferência da sede para o endereço atual – Av. Nossa Senhora do Carmo, 931; – Passa a adotar a marca Rede Minas. Sua área de atuação abrangia 33 municípios em torno do centro do Estado e sua programação, com retransmissão simultânea da TVE do Rio de Janeiro, ia ao ar das 18h às 24 horas.

1996

Passa a transmitir 24 horas diárias de programação.

1998 – Inicia-se a política de interiorização da emissora com a inauguração do sistema de transmissão via satélite.

1998

Inicia-se a política de interiorização da emissora com a inauguração do sistema de transmissão via satélite.

2004

A planta instalada cresce de 336 para 690 retransmissoras; – A abrangência do sinal cresce nas estações, sob a responsabilidade do DETEL – Departamento Estadual de Telecomunicações, órgão responsável pela instalação e manutenção dos equipamentos.

2005

Assina termo de parceria com a ADTV – Associação de Desenvolvimento da Radiodifusão de Minas Gerais, uma OSCIP – Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, adotando um novo modelo administrativo-gerencial, para viabilizar o desempenho das atividades da TV que não são exclusivas do Estado.”][timeline_item title=”2009″ text=”- Firma-se convênio também com a TV Brasil para retransmissão do seu sinal.

2010

A Rede Minas entra definitivamente para a era da TV digital, com o lançamento de sua transmissão digitalizada; – O sistema de transmissão digital é implantado, garantindo um alto padrão de qualidade técnica, associado à aquisição de equipamentos digitais de captação, em consonância com as inovações tecnológicas adotadas pelo segmento da televisão em todo o mundo; – Chega a cerca de 80% dos municípios mineiros por meio de suas retransmissoras; – Passa a transmitir sua programação ao vivo também pela internet.

2011

A Rede Minas intensifica suas ações nas redes sociais. Os perfis trazem informações sobre a programação além de abrir espaço para participação dos internautas.

2013

Mudança no modelo de gestão e realização do concurso público; – Nova estrutura orgânica estabelecida pela Fundação TV Minas Cultural e Educativa através do Decreto no 46.409/2013.

2014

Publicação do Novo Estatuto através do Decreto no 46.540/2014; – Construção da sede da Rede Minas – Projeto Estação da Cultura; – Rede Minas comemora 30 anos de história.