Visibilidade transexual e travesti é discutida no Palavra Cruzada

Na Semana de Visibilidade Trans, realizada entre 25 e 30 de janeiro, o Palavra Cruzada recebeu Sarug Dagir Ribeiro, mulher transexual, doutoranda em psicologia da UFMG e Colaboradora do Programa de Educação para a Diversidade, para debater as dificuldades que essa parcela da população enfrenta, como a convivência familiar e a inserção no meio acadêmico e no mercado de trabalho.

Segundo a ANTRA (Associação Nacional de Travestis e Transexuais), 90% das travestis e transexuais estão se prostituindo no Brasil. Ainda que elas queiram arranjar um emprego com rotina, horário de trabalho e carteira assinada, o preconceito se mostra evidente quando elas se candidatam a uma vaga.

De acordo com Sarug, a própria palavra “transexual” tem seu radical inspirado no conceito de transformação e por isso designa pessoas que não se reconhecem no seu gênero biológico, assumindo uma identidade que não é prevista na expectativa social.

Simplificando: mulheres transexuais são todas as pessoas que reivindicam o reconhecimento social e legal como mulheres; homens trans são todas as pessoas que reivindicam o reconhecimento social e legal como homens; travestis são as pessoas que vivenciam papéis de gênero feminino, mas não se reconhecem como homens ou como mulheres, e sim como membros de um terceiro gênero ou de um não-gênero.

Comentários

  • Por JOSE ALBERTO HENRIQUES LIMONGE - em Responder

    NÃO DESCRIMINO DE FORMA ALGUMA . MAS PEÇO QUE LEIAM O LIVRO KARDEC PROSSEGUE , PISICOGRAFIA DE CHICO XAVIER , TAMBEM LIVRO DE DIVALDO PEREIRA FRANCO , PARA PODER ENTENDER O PORQUE DE UM HOMEM SER GAY OU DE UMA MULHER TAMBEM , AGORA CONTRA O CRIME NÃO E NUNCA ADIANTARA NADA NUNCA NUNCA NUNCA………….

Deixe um comentário